1

STRESS CANINO

Seja feliz com seu cão

Stress canino”. Cães estressados são infelizes, por levarem muitas broncas ou até apanharem dos donos. Eles acabam deixando seus donos também infelizes, pois se tornam “pioradores” da qualidade de vida dos mesmos e na realidade são vítimas de um processo de criação errada. Esse tipo de desvio comportamental é pouquíssimo conhecido de adestradores e veterinários. Não adianta muito só adestrar um cão mal educado e desobediente, sem criar corretamente o mesmo quanto ao stress. Ele vai ficar um pouco mais obediente, mas continuará muito elétrico e agitado, inviabilizando que fique bem educado e super obediente, enfim, que se torne um “melhorador” de qualidade de vida e um grande prazer para os donos.

Sintomas do stress canino: cães muito agitados, elétricos, impacientes, nervosos, irrequietos, chatos e em casos mais graves... revoltados, estágio em que algumas raças de cães chegam a morder as pessoas que convivem com ele. Esses sintomas desencadeiam graves conseqüências no cão, que podem ocorrer individualmente, em grupos ou até todos ao mesmo tempo: ficam mal educados, destruidores, pulam muito nas pessoas, latem exageradamente, tornam-se desobedientes, ficam briguentos com outros cães, muito agressivos com pessoas, enfrentam os donos/empregados, tornam-se fujões, puxam muito ao passear na rua, regridem no xixi/cocô (ou não aprendem), recusam-se a vir quando chamados, etc...

Causas do stress canino:

1)      Energia acumulada - pouco exercício / movimentação do cão, que se transforma em nervosismo, impaciência;

2)      Tédio/monotonia na vida do cão, que também se transforma em nervosismo, impaciência.

Para evitar as causas do stress canino, 3 coisas são importantíssimas:

1)      Passear na rua diariamente com o cão. É “pecado mortal” não fazê-lo. Pode ser com um empregado. IdeaI: 3X/dia de 20 a 30 minutos. Bom: 2X/dia de 20 a 30 minutos. Mínimo: 1X/dia de 30 minutos ou mais. Estará gastando energia e saindo da monotonia. Vale mais passear 3X/dia 20 minutos que chegar à noite e ficar 3 horas com o cão na rua. Existem Dog Walkers (passeadores de cães), se for necessário. Existem também esteiras elétricas

2

para cães, que não tem todos os benefícios de passear na rua, mas ajudam parcialmente, pois gastam energia do mesmo.

 

2)      Espaço proporcional ao tamanho do cão. Gastará energia e sairá da monotonia, ao variar o local onde fica, na casa, durante o dia ou a noite.

 

3)      Visão da rua. A rua é a televisão do cachorro. O cão precisa ver a rua para se distrair o dia inteiro, saindo da monotonia e gastando energia (num dia irá pelo menos umas 30 vezes olhar a rua). Exceção: cães que vivem dentro de casa, junto com os donos e que tem temperamento calmo.

Para satisfazer a “visão da rua”:

a.     Ideais são portões ou muros com grades vazadas ou similares.

b.     Para casas que tem portões fechados, de aço ou madeira, aconselhamos:

1.      Fazer 1 janela no portão, de maneira que o cão possa ver a rua, quer esteja de pé, sentado ou deitado, e em um lugar que pegue sombra boa parte do dia, de preferência.

2.      Outra opção, seria fazer outro portão de grades vazadas e fixá-lo, parafusando no batente de madeira do portão antigo) ou soldando/parafusando no batente do portão de aço existente, de maneira que abra do lado contrário ao portão original (um abre para um lado e o outro para o outro).

c. Cães de apartamento

·         Apto com sacada – Ideal é que a sacada do apto fique voltada para a rua, que é sempre + movimentada que o interior do quarteirão. Quanto mais movimento a rua tiver, melhor para o cão! Durante o dia deixar sempre o acesso da sacada aberto ao cão.

·         Apto sem sacada – sair de 3 a 4 vezes com o cão à rua por uns 15 a 20 minutos.

d.      Na impossibilidade de ter a visão da rua ou no caso de cães

que ficam sozinhos o dia todo ...

·         Deixar a TV ligada para ele se distrair (melhor) ou pelo menos um rádio ligado ( não é tão bom quanto a TV, mas ajuda). Cães gostam de desenho animado.

·         Ter 2 cães, pois assim eles terão companhia e às vezes ficarão brincando, o que diminuirá o stress.

 

3

Em condomínios fechados tipo Alphaville, Tamboré, Aldeia da Serra, em que é proibido ter grades na frente da casa, portanto prejudicando a visão da rua do cão, é importante que as grades vazadas sejam colocadas no corredor lateral que fica junto da cozinha e área de serviço, que é onde os cães preferem ficar, por ter bastante movimentação.

Se mesmo criando corretamente o cão quanto ao stress, ele for inconveniente (desobediente/mal educado) só um bom adestrador resolverá o problema.

José Carlos Napoleão

Adestrador profissional de cães há 20 anos, há 30 anos adestra cães e é 1 dos proprietários do Canil Zuffenhausen

Fones 37810420 / 37811144 / Cel 9 9192 1950

www.canil.zuffenhausen.nom.br

 

Agradeço ao meu irmão José Roberto, que também é adestrador profissional de cães com a mesma experiência que eu, além de ser meu sócio no canil e que colaborou muito para o desenvolvimento desta apostila. Seus telefones são (11) 4448 1536 e Cel.(11)961871779.



Cão nervoso, elétrico, não pára quieto.

Não deixa que se acaricie a sua cabeça. Ele morde de leve até a mão do próprio dono, e esquiva a sua cabeça da mão do dono e de outras pessoas.

É difícil se relacionar com ele. Ele não respeita os donos, se for um cão de pouca idade. Pula muito nas pessoas.

É tão elétrico, agitado, que não consegue ficar muito tempo sentado ou deitado, se estiver perto das pessoas.


Normalmente é destruidor: jardins, móveis, roupas, etc. Mesmo que o cão já esteja maduro e tenha parado de destruir as coisas, quando ele entra em "stress", fica revoltado e freqüentemente volta a destruir.

Normalmente é muito latidor, barulhento, sem motivo justo.

É difícil de ser dominado, principalmente quando está solto.
É mais difícil de ser adestrado.
Às vezes fica inseguro (medroso / covarde).
Às vezes pode tornar-se um pouco agressivo com os próprios donos.

Cães sem espaço para correr, se movimentar, que seja proporcional ao seu tamanho.

Cães que ficam presos em quintais muito fechados, com muros, sem que haja distração para o cão que ali fica. Mesmo que haja jardins bonitos e uma bela piscina. Ele acaba ficando nervoso, estressado de ficar olhando para 4 paredes.

Frente de casa com portões fechados em madeira ou chapas de aço e muros altos que impedindo que o cão se distraia c/ o movimento da rua.

Cães que ficam os 4 ou 5 primeiros meses de vida sem sair à rua, por ordem do veterinário, o que é correto, pois não tem imunidade contra as doenças caninas. Porém isso pode causar "stress" no cão. Ele pode ficar "entediado" ou "medroso/covarde".

Cães que ficaram "presos" em espaços pequenos durante reforma ou construção de casa.
Donos/empregados que não dão atenção ao cão (falta de conivência).

Donos/empregados que não levam o cão para passear pelo menos 15 minutos 2 vezes/dia para tirá-lo da rotina.

Casas de condomínios fechado que não tem grades na frente e por isso os cães não tem distração, por não poderem ficar olhando o movimento da rua dentro da garagem.

Cães que ficam muito tempo muito tempo sozinhos em casa durante o dia.
Deixar freqüentemente o cão preso em corrente.
Cães inseguros / medrosos / covardes quando passam por situações difíceis.
Cães que antes de serem vendidos aos donos ficaram 4 à 5 meses presos em canis pequenos ou gaiolas. Além de "estressado" esse procedimento muitas vezes deixa o cão "medroso / inseguro / covarde".

Donos neuróticos, chatos ou agressivos que batem ou bronqueiam desnecessariamente com seu cão. Além de "estressado" esse cão tem grandes chances de se tornar neurótico / revoltado / covarde / inseguro / medroso ou insociável e em qualquer uma dessas opções o cão pode morder os donos quando se ver acuado.

Viagens em veículos ou aviões - neste, preso em gaiolas - principalmente se não estiver acostumado. Se o cão for inseguro / medroso a chance de "stress" será maior.

Cães chatos que vivem junto com outros cães, acabam deixando este estressados.

Cães que ficam uma parte do dia sem sombra ou água fresca, além de estressados ficam desidratados.

Cães que vivem em local muito barulhento.

Deixa-lo bastante na frente da casa para ficar se distraindo com o movimento da rua. Isso o deixará mais tranqüilo. Se a casa tiver grades na frente é muito importante que se tenha portões laterais vazados para que o cão se distraia com a rua ou que tenha um cabo de aço no jardim não deixe o cachorro 3 ou 4 horas nesse local por dia, desde que não ofereça perigo às pessoas. O cão  deverá ficar preso ao cabo de aço por uma guia tipo corrente e deverá ter um pouco de sombra (importante) e um pouco de sol. Deverá ser colocada água fresca na sombra. Guias de lona, couro ou plástico são perigosas para isso, pois o cão pode roer, se soltar e morder alguém ou fugir. Se o cão for bravo ou estiver no cio não deixar no cabo de aço.

 

 

Faze-lo gastar bastante energia, pois ele está com excesso, por isso é elétrico, nervoso, impaciente, desafiador. Passear várias vezes por dia com o cão. Pode-se fazer um esquema de revezamento dos donos do cão com os empregados. Brincar com ele, mandar buscar objetos jogados, buscar bola, correr com ele, subir e descer escadas, etc.

Aumentar a convivência dos donos / empregados com o cão. Deixa-los mais tempo em companhia dessas pessoas.

Se ele já estiver acostumado, leva-lo para casa de praia ou campo, se houver, quando você for para lá. Um  cão estressado está entediado, nervoso, sem paciência, cansado dos mesmos lugares ou paisagens.
Quando maior for a variação, melhor, desde que ele goste do lugar onde for levado.

Se possível, as vezes deixar o cão entrar dentro de casa para assistir TV c/ a família.
Diariamente deixar brinquedos com o cão, bolinhas de tênis, etc.

Diariamente deixar p/ o cão roer ossinhos de couro e palitos de gelatina/couro (gastar energia e limpar os dentes).

 

Adestrar o cão contribui p/ tirar o "stress" canino. Ensinando-se obediência ele aprende a ter paciência, a fazer o que nós queremos sem perder a espontaneidade nos outros momentos, as coisas que ele pode ou não fazer, fica muito mais "assentado" de comportamento pelo amadurecimento mental conseguindo por um bom adestramento. Além disso gasta-se energia do cão com o adestramento, o que ajuda a dissipar o "stress". Por isso é que cursos com alta carga horária diária ou alta freqüência são mais indicados para cães estressados. Isso induz o cão a parar de destruir as coisas, a parar de latir sem necessidade, a ser obediente, educado e tudo isso vai na contra mão do stress. Por isso o adestramento ajuda muito a acabar com o stress.

Não deixar o cão preso em corrente. Deixa-lo solto.
Cães estressados que moram em apartamento podem eventualmente tornar-se agressivos com os donos.

© Todos os direitos registrados e reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sem autorização expressa.

Voltar para página principal